Descoberto em junho de 2004 por cientistas da Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), o asteroide Apophis, nome dado em homenagem a um deus egípcio, corre o risco de se chocar contra a Terra daqui a alguns anos, conforme apontam alguns especialistas.

Em 2029, o objeto, que vem sendo chamado de "apocalíptico", estará a uma distância de "apenas" 36 mil km de nosso planeta, distância bem inferior, por exemplo, entre a Terra e a Lua, que é de 384,4 mil km.

Entre os dias 9 e 10 de janeiro do ano que vem, o asteroide passará pela Terra a cerca de 14,5 milhões de km de distância do nosso planeta. Segundo o astrofísico russo Vladimir Surdin, do Instituto Astronômico Sternberg, de Moscou, pelos dados de trajetória do astro, ele não representa ameaça para o nosso planeta neste momento.

Um estudo da Agência Espacial Europeia (ESA), no entanto, aponta que o Apophis chegará tão próximo da Terra em 2029 que poderá destruir alguns satélites que estão em órbita na atmosfera de nosso planeta – muitos destes equipamentos estão justamente a 36 mil km da superfície terrestre.


O asteroide "apocalíptico" tem um diâmetro de 325 m, 20% a mais do que a Nasa estimava inicialmente. Isso significa que sua massa também é maior em cerca de 75%. Se, eventualmente, o Apophis atingir a Terra, seu impacto seria o equivalente a uma bomba de aproximadamente 880 megatons. Isso não seria suficiente para dizimar completamente a vida no planeta, mas provocaria um impacto maior do que qualquer bomba atômica já produzida.

Após 2029, o próximo encontro do Apophis com a Terra será em 2036. Vale dizer que a chance de nos acertar é de uma em 250 mil. Mesmo assim, cientistas russos já estão fazendo planos para alterar a rota do asteroide.






Com a Informação Revista Encontro.

0 Comentários :

Postar um comentário