Você sabia que Jesus não nasceu em 25 de dezembro?



É uma questão complicada falar sobre crenças religiosas, por isso gostaria de deixar claro que o que escrevo a seguir é baseado nos conteúdos de estudos históricos e teorias que os cientistas e historiadores fizeram. Não é uma tentativa de ofender ninguém. É uma opção sua acreditar ou não nessa matéria. Boa leitura.

Uma das celebrações mais populares do mundo, pelo menos para os fiéis da religião cristã, gira em torno da data em que Deus veio ao mundo sob a forma do menino Jesus. Para comemorar esta festividade, os cristãos geralmente fazem vários tipos de refeições, vários tipos de doces típicos e até colocam símbolos nas casas. Muitas crianças se vestem de Jose e Maria. Mas será que é tudo verdade?
1. Jesus não nasceu no 25 de dezembro

Principalmente porque naquele momento não havia um registro de nascimento tão preciso, seria quase impossível determinar com tanta certeza o momento em que a figura histórica nasceu. Devemos ter em mente que a constituição da religião e o debate sobre as verdades de Jesus ocorreram cerca de 300 anos após sua morte, de modo que, naquela época, elas seriam meras especulações. Na verdade, foi falado originalmente em diferentes datas possíveis, que incluíram janeiro, março ou até maio. Mas diferentes estudos apontam que a data mais provável seria o 29 de dezembro.
2. Outros Messias nasceram nesta mesma data

A razão pela qual essa data foi atribuída foi relacionada a uma coincidência de diferentes religiões que colocaram o solstício de inverno como um dia especial. Isso acontece em torno de 21 de dezembro e isso é especialmente importante porque é considerado um dia que comemora o nascimento do sol. Na verdade, a religião romana celebrou durante essas datas o nascimento de Apollo, a religião viking de Odin ou Mitra na antiga cultura persa.

3. Jesus não nasceu em Belém

Há uma controvérsia sobre o lugar exato onde ocorreu o nascimento, porque realmente há uma diferença entre os Evangelhos de Mateus e Lucas que o colocam entre Belém, o primeiro e Nazaré, o segundo. Isso levanta uma ótima dúvida sobre a exata localização. De qualquer forma, só podemos confiar nas palavras de duas pessoas que não estavam presentes, por isso não podemos afirmar com tanta certeza.
4. Os três reis magos não eram 3.

Nem os três reis magos eram três, nem reis, nem mesmo mágicos. Em nenhum registro há menções sobre à existência dessas figuras amadas em diferentes partes do mundo, uma vez que apenas “magos” são mencionados em um dos Evangelhos. Sua alusão era muito breve e pobre. Seu número mudou ao longo do tempo, mas finalmente foi determinado que havia 3 por causa do número de presentes: mirra, incenso e ouro.
5.  A Estrela de Belém não existiu

Realmente não era uma estrela que guiava o caminho para a Belém, mesmo que fosse apenas uma questão de nome para alguns. Muito provavelmente, o que os magos viram foi simplesmente o cometa Halley, que geralmente viaja muito perto do nosso planeta. Para eles, não haveria diferença entre eles, pois eles simplesmente veriam uma estrela em movimento. Isso também reforça a seguinte teoria sobre o ano atual do nascimento de Jesus.
6. Jesus não nasceu no ano 0

Por um lado, temos que começar por dizer que o ano zero nunca existiu, já que passou de -1 para 1 diretamente. Mas também não ocorreu em torno dessas datas. Acredita-se que o nascimento ocorreu aproximadamente durante o terceiro ano antes de Cristo. Esta falha no cálculo é devido à imprecisão com a qual se media o tempo naquela época.
7. O Papai Noel vermelho não foi inventado pela Coca-Cola

Embora seja verdade que foi a Coca-Cola quem o popularizou em todo o mundo, escolhendo para ele as cores corporativas de seu logotipo, a verdade é que ele foi projetado várias décadas antes. Há algum tempo, com base na figura de São Nicolau de Bari, a lenda foi pegado “emprestada” e modificada. Mas foi realmente Thomas Nast quem criou esse personagem peculiar. Mas claro que quem levou o mérito foi a entidade multimilionária.



Com a Informação Explicando.

0 Comentários :

Postar um comentário