07:10:00
0

RÚSSIA. Em 26 de Setembro do 2017 uma luz de aparência plasmóide, movendo-se em sentido descendente, rumo ao solo em formação espiral, de cor azulada, foi observada por cidadãos de numerosas localidades da Rússia. A magnitude do evento permitiu que fosse visto ao longo de milhares de quilômetros.

A aparição durou vários minutos na região dos montes Urais e países fronteiriços. Naquela madrugada, pouco depois das duas horas da manhã, uma conta do Tweeter - @russiamilitaryw - RUSSIA MILITARY WATCH - aberta em agosto deste ano - 'comunicou o lançamento de um Míssel balístico intercontinental. 


Um ES-12M foi disparado em Kasputin Yar em direção a uma 'faixa de testes em Sary-Shagan, no Cazaquistão. A ogiva atingiu o alvo, o objeto espiralado foi produzido pelo míssel e pronto!


A explicação oficial é pouco convincente. A formação espiralada é exótica demais para o que se espera de um míssil. Esses mísseis que deixam rastros tão incomuns estão aparecendo com uma frequência notável e em lugares muito diferentes.

Uma espiral azulada exatamente igual a essa filmada na Rússia - foi manchete em 2009 e denominada 'a anomalia da Noruega. Na ocasião, as 'autoridades disseram o mesmo que dizem agora e sempre: teste de um míssil russo. Todavia a população do mundo civilizado já não engole mais essa história de lançamento de míssil.

As luzes que têm sido filmadas e diferentes lugares do planeta estão sendo apontadas como resultado de experimentos humanos mais especificamente, atividades do CERN. 

Muita gente acredita que estas espirais são portais interdimensionais e o medo que se espalha é sobre o quê ou quem estaria utilizando tais passagens para alcançar a realidade terrena ou para retirar alguma coisa dela. 

Enquanto isso os mídia tentam convencer espectadores perplexos que nada demais está acontecendo nos céus deste mundo.

0 Comentários :

Postar um comentário