04:50:00
0

Motivado pela decisão judicial que permite tratamento psicológicos para gays, as Igreja Evangélicas no Brasil estão preparando planos de cura gay que serão comercializados nas próximas semanas. Os planos agregam diversos tratamentos diferentes, com maior ou menos intensidade, tudo de acordo com a disposição e bolso do cliente que procurar o tratamento.

Os planos mais complexos não prometem somente a cura gay como também a remoção do que eles chamam de “encosto da bixisse” que é, segundo os pastores consultados, um encosto de origem da umbanda ministrado por Xico Chavier que impõe a homemsexualidade para uma pessoa. Os valores cobrados também podem variar, não há como saber quantos encostos satânicos do homemsexualismo uma pessoa pode ter, o que pode prolongar a quantidade de seções necessárias para curar a pessoa.

A seções também tem custo variável conforme quem for ministrar as seções de desencapetamento para o paciente, seções com os líderes das principais igrejas podem custar até R$ 5.000,00 e levam em média 15 minutos. Apesar dos valores elevados os profissionais da fé garantem que não há gayzismo que não possa ser curado por eles, basta a pessoa ter fé a dinheiro que o tratamento será efetivo.

Antes de iniciarem suas atividades comerciais, as igrejas que desejarem comercializar o tratamento terão que passar pela certificação do Instituto EM METRO, apenas igrejas que forem aprovadas poderão iniciar os tratamento. O EM METRO fará testes nos pacientes que afirmarem estarem curados, um dos testes será com a presença do ator Alexandre Frota realizando um strip-tease, os especialistas do EM METRO acreditam que poderão analisar dessa forma se os pacientes realmente foram curados como prometem as Igrejas. Algumas igrejas também fazem testes internos com modelos masculinos em videos sensuais, o proposito é oferecer um certificado assinado pela Igreja que a pessoa está totalmente curada, o certificado não tem valor jurídico porem pode ser útil para obtenção de emprego em empresas de dirigentes evangélicos.




Com a Informação Jornal Internacional.

0 Comentários :

Postar um comentário