07:26:00
0

E junto com a explosão de radiação, está chegando uma forte Ejeção de Massa Coronal

Hoje, dia 06 de setembro, às 12:02 UTC (09h02 pelo horário de Brasília), a mancha solar AR2673 produziu uma erupção solar de classe X9.3 - a mais extrema explosão solar em mais de uma década!

Alguns minutos depois, raios-x e UV provenientes dessa explosão ionizaram o topo da atmosfera terrestre, causando fortes blecautes de rádio no lado diurno da Terra. A maior parte do Brasil sofreu com esse blecaute extremo, como mostra no mapa:

Mapa do blecaute ocorrido no dia 06 de setembro de 2017.
Créditos: NOAA / SWPC
Diferente das Ejeções de Massa Coronal, as explosões solares, por produzirem erupções de radiação, viajam na velocidade da luz. Com isso, não temos nenhum tempo para nos preparar pra sua chegada, que pode causar blecautes severos e até apagões globais dependendo da intensidade.

A explosão provavelmente produziu também uma Ejeção de Massa Coronal (EMC), mas para confirmar isso, temos que esperar a liberação das imagens feitas pelos observatórios solares.

Foi muito forte!

Para se ter uma ideia da intensidade dessa explosão, a escala que mede sua potência vai de B (ínfima), C (fraca), M (moderada) até X (extrema). Como se não bastasse, cada letra tem uma segunda contagem de intensidade que vai de 1 à 9.9. Essa explosão atingiu a escala de X9.3!

A maior explosão solar já registrada foi em 2003, atingindo a escala de X17 - ou seja, as erupções solares mais extremas (de classe X) podem ultrapassar o limite de 9.9, mas isso é muito raro.


Essa mancha solar não está pra brincadeiras!

No dia 4 de setembro, a mesma mancha solar (AR2673) já foi responsável por uma Ejeção de Massa Coronal. O vento solar dessa explosão já estava previsto para chegar na Terra entre hoje e amanhã (6 e 7 de setembro).

Mancha solar AR2673 registrada por Philippe Tosi no dia 5 de setembro de 2017, em Nîmes, França.
Na imagem temos a Terra em escala.
Créditos: Philippe Tosi / divulgação

As chances de tempestades geomagnéticas estão altas. Especialistas do clima espacial estão estimando uma chance de 90% para tempestades geomagnéticas severas nas altas latitudes, e 45% para as latitudes médias nas próximas 24 horas.

Imagens: (capa-SDO) / NOAA / SWPC / SDO / NOAA / NASA / Philippe Tosi / divulgação



Galeria do Meteorito.

0 Comentários :

Postar um comentário