13:24:00
0

Especialistas dizem que origem da enfermidade renal ainda é incerta; pacientes são jovens de comunidades de pequenos agricultores em países centro-americanos; Organização Pan-Americana da Saúde, Opas, emitiu recomendações.
Um grande número de jovens vivendo em comunidades de pequenos agricultores na América Central está sofrendo de uma doença renal, considerada misteriosa.
Em comunicado, a Organização Pan-Americana da Saúde, Opas, informou que a doença tem origem incerta e não está relacionada ao diabetes ou à hipertensão.
Baixa renda
A agência emitiu recomendações às áreas afetadas alertando que as pessoas mais propensas a desenvolverem o mal renal são homens jovens em comunidades agrícolas de baixa renda.
Para a Opas, a doença está associada a fatores como poluentes ambientais, condições de trabalho precárias e elementos agroquímicos assim como baixa ingestão de água. Os primeiros casos surgiram há mais de 10 anos.
Numa nova publicação, "Epidemia de Doença Renal Crônica em Comunidades Agrícolas da América Central", a agência tenta estabelecer um plano de vigilância.
Tratamento
De acordo com a Opas, os sistemas de saúde da região precisam de mais informação sobre epidemiologia para responder à situação, de detalhar o que pode ser usado como estratégias.
Uma das propostas é identificar pacientes com risco de insuficiência renal e que possam receber o tratamento adequado para mitigar esses riscos.
Um estudo recente mostrou que mais de 60 mil mortes causadas por complicações renais ocorreram entre 1997 e 2013 na América
Central. Muitos casos só foram diagnosticados num estádio bem tardio.
Internações
Entre 2005 e 2012, somente em El Salvador, as internações devido ao tema subiram 50%. Um ano depois, representantes da América Central e da República Dominicana emitiram uma Declaração sobre o tema indicando as causas desconhecidas para a epidemia como um sério e urgente problema de saúde pública.
A Opas informou que continuará acompanhando a situação
para promover vigilância e mobilização além de melhorias no meio ambiente e condições de trabalhos dessas comunidades rurais.



Rádio ONU.

0 comentários :

Postar um comentário