13:36:00
0

Você deve ter ouvido falar da chuva de meteoros Perseidas que aconteceu neste final semana e até mesmo observado o fenômeno. Essas chuvas de meteoros ocorrem quando a Terra passa por nuvens de detritos deixadas por um corpo celeste –  asteroide ou cometa. Nesse caso, a chuva Perseidas é causada por um cometa chamado Swift-Tuttle, que também pode acabar com a vida na Terra.

Descoberto em 1862, o cometa orbita o nosso Sol uma vez a cada 133 anos. O próximo periélio, ou seja, ponto mais próximo do Sol em sua órbita, será em 26 de julho de 2126. Sua órbita estável significa que não será uma ameaça até então, mas alguns milênios ou mais depois, pode ser um problema.
Ethan Siegel, da Forbes, está sugerindo que, se o campo gravitacional enorme e um tanto imprevisível de Júpiter der ao Swift-Tuttle o menor desvio, então ele poderia ajustar sua órbita apenas o suficiente para que ele atingisse a Terra. Considerando que o núcleo do cometa possui cerca de 26 quilômetros, isso seria apocalíptico.
Mas então, o que aconteceria se um cometa como Swift-Tuttle realmente nos atingisse? Seria pior ou melhor do que um impacto de asteroide?
Os cometas são, sem dúvidas, mais perigosos para a vida na Terra do que os asteroides. Os asteroides geralmente viajam a velocidades de cerca de 25 km/s. Cometas, por outro lado, viajam a velocidades de até 70 km/s. Supondo um impacto hipotético, essa velocidade extra significa que eles têm muito mais ímpeto e, portanto, muito mais poder destrutivo.
Aqui está uma boa comparação: o asteroide que matou os dinossauros, que era de cerca de 15 quilômetros, desencadeou a mesma quantidade de energia que cerca de 100 milhões de toneladas de TNT. Isso soa muito, mas não é nada comparado ao Shoemaker-Levy 9, o cometa que atingiu Jupiter no início dos anos 90.
Este cometa de “apenas” 5 km, se transformou em múltiplos fragmentos. O maior fragmento, ‘G’, bateu em Júpiter em 18 de julho de 1994 a uma velocidade tão notável que esse impacto sozinho foi 60 mil vezes mais poderoso do que o asteroide que acabou com os dinossauros.
Um impacto do Swift-Tuttle desencadearia uma energia em torno de 10-28 vezes a do impacto do asteroide matador dos dinos. Mas calma, apesar da chance notável de impactado, esse número é um em 500.000.
Em suma, recomendamos aproveitar a chuva anual de meteoros e não se preocupar tanto com essas rochas espaciais – pelo menos por enquanto.


 [IFLS]
Alexsandro Mota

0 Comentários :

Postar um comentário