03:36:00
0

Um novo estudo revela que, graças a altas concentrações de zinco e germânio, semelhantes às que aparecem juntas na Terra, o planeta vermelho poderia oferecer as condições necessárias para a existência de micróbios.
Novos dados coletados em Marte pela NASA, através do jipe-Segundo os cientistas, as concentrações de zinco e germânio encontradas na Cratera Gale são de 10 a 100 vezes maiores que as encontradas na crosta marciana típica.
Ambos os elementos químicos geralmente aparecem juntos na Terra, em reservatórios hidrotérmicos contendo enxofre.
Jeff Berger, um geólogo da Universidade de Guelph (Ontário, Canadá) e autor principal do novo estudo, argumenta que as altas concentrações de zinco e germânio na cratera Gale podem ser explicadas pela atividade hidrotermal na área.
Graças à uma série de testes nas condições hidrotérmicas presentes nas proximidades da cratera Gale, a missão do Curiosity se concentrará agora em determinar se houve condições ambientais favoráveis ​​para a vida de micróbios naquele planeta.Planets, pesquisadores da agência aeroespacial dos EUA referem-se à atividade hidrotermal indicativa de rochas sedimentares em uma cratera marciana, que amplia o alcance das condições de habitabilidade.

Essa vista obtida pela câmera do mastro do Curiosity da NASA mostra um local com uma rede de veias minerais proeminentes abaixo de um cume de rocha. Crédito de Imagem: NASA
Como observado pelo site Phys.org, a evidência de possível atividade hidro-termal foi descoberta por outros jipes-sondas de Marte em diferentes locais na superfície do planeta vermelho, bem como em amostras de meteoritos marcianos. Os cientistas, usando simulações computacionais, experimentos laboratoriais e pesquisas de sites hidro-térmicos na Terra estão tentando entender a potencial atividade hidro-térmica passada em Marte.
Até agora, descobriram dados totalmente inesperados que alteram tudo o que pensamos sobre Marte.
Berger disse:
Você tem calor e gradientes químicos … condições favoráveis ​​para a gênese e persistência da vida.
Ambientes térmicos extremos são na Terra o habitat de uma ampla gama de micróbios que de alguma forma conseguiram se adaptar a essas condições.
Além disso, esses organismos podem ter sido alguns dos primeiros a evoluir no nosso planeta.
No novo estudo, utilizando dados do Mars Science Laboratory APXS montado no braço robótico do Curiosity, os cientistas mediram 16 principais elementos nas rochas encontradas na cratera Gale, inclusive o zinco. Eles também analisaram o uso das amostras de instrumentos de química e mineralogia do jipe-sonda Curiosity, a partir de sua broca e pá.
A cratera Gale se formou 3,5 a 3,8 bilhões de anos atrás devido a um impacto de meteoro no início da história de Marte. As rochas dentro da Cratera de Gale são de grande importância se quisermos determinar se a Marte possui as condições necessárias para hospedar a vida microbiana, de acordo com a NASA.
Conforme observado por Ashwin Vasavada, cientista do projeto da missão Curiosity, no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia, a nova pesquisa ilumina o que pode ter acontecido antes e depois da formação do lago.


Ovni Hoje.



0 Comentários :

Postar um comentário