04:49:00
0

A jornada para colher o mel alucinógeno produzido pelas abelhas gigantes do Himalaia está longe de ser fácil. No leste do Nepal, os membros selecionados da população de Kulung escalam escadas de cordas de bambu até penhascos de 91 metros para conseguir a iguaria. Eles evitam enxames das abelhas com fumaça de grama queimada, que é anexada a uma vara, enquanto tentam recolher o precioso líquido.

As histórias das pessoas que fazem essa jornada estão documentadas em “The Last Honey Hunter”, um filme que está atualmente aparecendo em festivais e será lançado em 2018. Parece deslumbrante, como você pode ver neste vídeo por trás das cenas, publicado pela The North Face no YouTube.

A equipe do filme incluiu escaladores como o cineasta e fotógrafo Renan Ozturk. Eles chegaram alto o suficiente nos penhascos para filmar a caça, embora a tripulação estivesse amarrada em equipamentos de segurança – ao contrário dos caçadores de mel, que apenas subiam as escadas altas e finas.

Dependendo da época, essas abelhas fazem diferentes tipos de mel, de acordo com Mark Synnott, que fazia parte da equipe de filmagem e escreveu sobre os caçadores de mel para a National Geographic. Na primavera, as toxinas nas flores que elas comem criam um mel psicotrópico “louco” ou vermelho.

“Comi duas colheres de chá, a quantidade recomendada pelos caçadores de mel e, depois de cerca de 15 minutos, comecei a sentir uma sensação similar à da maconha. Eu senti como se meu corpo estivesse esfriando, começando pela parte de trás da minha cabeça e atravessando meu tronco. Um sentimento profundo e gelado no meu estômago que durou várias horas”, escreveu David Caprara para o site Vice em 2016 depois de viajar para o Nepal para testemunhar uma outra caçada de mel.
Ele diz que uma dose maior pode ser ainda mais intensa.

O comerciante de mel da aldeia descreveu a experiência de ingerir uma quantidade maior de mel vermelho para Synott. “Primeiro, o corpo sente a necessidade de purgar (vomitar ou defecar). Depois da purga você alterna entre a luz e a escuridão. Você pode ver, e então você não pode ver”, disse ele a Synott. “Você não pode se mover, mas você ainda está completamente lúcido”. Essa sensação pode durar um dia, com um som de uma colméia pulsando ao longe.

Os habitantes locais nepalenses usam pequenas doses do mel como anti-séptico, um remédio para a tosse ou para alívio da dor. É vendido no mercado negro por 130 a 175 dólares por kg, de acordo com Synnott. É isso que faz a caçada que desafia a morte valer a pena por tanto tempo.

Mas as tradicionais caças ao mel, que são conduzidas de forma ambientalmente sustentável, podem não durar por muito mais tempo. A aldeia documentada neste filme não tem ninguém para substituir o caçador Mauli, uma vez que os jovens estão menos interessados ​​e mais propensos a irem para as cidades. Esse não é o único problema. Em 2013, o fotógrafo Andrew Newey viajou para o Nepal para documentar as caças e disse que as populações de abelhas estão em declínio devido ao turismo e políticas governamentais que concedem privilégios de caça aos empreiteiros que não colhem de forma sustentável.

Alguma forma da caça pode continuar, mas a colheita sustentável tradicional – e talvez o próprio mel alucinógeno – pode não durar muito tempo.




Hypescience.

0 Comentários :

Postar um comentário