12:37:00
0
Mancha solar AR2665. Na parte superior mostra o tamanho aproximado da Terra.

Embora os especialistas da NASA (e os oculistas) estão alertando que o próximo eclipse solar não é algo a ser observado diretamente, felizmente alguns cientistas da NASA estão olhando através de seus óculos especiais ao Sol e o que eles vêem é ameaçador na melhor das hipóteses, apocalíptico na pior das hipóteses. O que eles descobriram é um buraco de 120 mil quilômetros de largura que é grande o suficiente para ser visto da Terra, e grande o suficiente para receber um nome (AR2665), e potencialmente grande o suficiente para produzir ejeções solares de “classe M” que podem eliminar satélites de comunicação, criar tempestades de radiação e causar caos eletrônico. Isso não é uma coisa boa.

Há muitas coisas para nos preocuparmos a respeito do AR2665. Ele foi descoberto pelo Observatório de Dinâmica Solar da NASA entre 5 e 11 de julho de 2017 e, em uma declaração cautelosa da NASA, “parece estar crescendo rapidamente”. Enquanto este fato em si não é incomum, o Sol está no “mínimo solar” de seu ciclo de 11 anos, o que significa que deve haver muito pouca, se houver, atividade de manchas solares no todo. AR2665 não deveria estar acontecendo, tampouco as pequenas manchas solares em seu “grupo”. O que é pior, seu núcleo é do tamanho da Terra.
Mas não é o buraco que é preocupante – é sim o que sai deles. Uma mancha solar desta magnitude tem o potencial para criar uma ejeção de massa coronal solar como o Evento 1859 de Carrington, que iluminou o céu em todo o mundo e eliminou a rede de comunicação na época – telégrafos – enquanto deu aos operadores choques elétricos. Isso parece pitoresco quando comparado com o que poderia acontecer hoje se (e, como a NASA avisa, quando), uma ejeção solar semelhante atingir os milhares de satélites de comunicações atualmente em órbita e a rede elétrica que cobre a Terra.
Seria esse gigantesco buraco o prenúncio do  evento de “classe Carrington”? A última ejeção de massa coronal desse tamanho foi observada em 23 de julho de 2012, quando sua trajetória, felizmente, o afastou da Terra. Uma tempestade solar menor de março de 1989 eliminou a rede elétrica em toda cidade de Quebec, no Canadá. Devemos estar preparados para um desastre de apagão planetário?
Mancha solar (buraco no Sol) AR2665.

Os meteorologistas da NOAA (The National Oceanic and Atmospheric Administration) inicialmente deram à AR2665 “25 por cento de chance de ejeções de classe M”. Isso não significa que as ejeções fatais poderiam atingir a Terra … mas você realmente pensa que eles diriam a público em geral primeiro? Este é o 40º aniversário do maior apagão que já atingiu a cidade de Nova Iorque (foi causado por danos nas linhas em uma usina nuclear, não por ejeções solares) e o resultado foi saque e destruição em massa, resultando em milhões de dólares de danos. As estimativas de hoje são de que os custos de um evento da classe Carrington começariam em trilhões e só aumentariam. Você acha que os governos, as instituições financeiras e as grandes empresas querem que você saiba que o grande evento está chegando antes de terem tido a chance de ocultar seus ativos?

Algo para pensar enquanto você não está olhando diretamente para o eclipse.

Ovni Hoje.

0 comentários :

Postar um comentário