10:56:00
0
Renderização artística do possível objeto.

Um objeto do tamanho de um planeta pode estar orbitando o Sol nos limites gelados do sistema solar, além de Plutão.

Cientistas do Laboratório Lunar e Planetário da Universidade do Arizona (LPL) determinaram que um objeto invisível, com uma massa em algum lugar entre a Terra e Marte, poderia estar à espreita no Cinturão de Kuiper, uma região além de Neptuno com milhares de asteroides, cometas e planetas anões.
Em janeiro de 2016, um outro grupo de cientistas previu a existência de um planeta do tamanho Neptuno orbitando o Sol, muito além de Plutão – cerca de 25 vezes mais longe do Sol do que Plutão. Este planeta hipotético foi apelidado de “Planeta Nove”. Então, se ambas as previsões estiverem corretas, um desses prováveis objetos poderia ser o 10º planeta do sistema solar.
O chamado “objeto de massa planetária” descrito pelos cientistas da LPL parece afetar as órbitas de uma população de rochas do espaço gelado no Cinturão de Kuiper. Os objetos distantes do Cinturão de Kuiper (OCKs) têm órbitas inclinadas ao redor do sol. Os planos orbitais inclinados da maioria dos OCKs se aproximam de algo chamado de plano invariável do sistema solar.

Mas as órbitas dos OCKs mais distantes se inclinam para longe do plano invariável em uma média de 8 graus, o que sinaliza a presença de um objeto mais maciço que distorce seu entorno com seu campo gravitacional, disseram pesquisadores em um estudo que será publicado em The Astronomical Journal.
Kat Volk, pós-doutorado da LPL e autor principal do estudo, disse em um comunicado:
A explicação mais provável para nossos resultados é que há uma massa invisível. De acordo com nossos cálculos, algo tão gigantesco como Marte seria necessário para causar a deformação que medimos.
Esses OCKs funcionam muito como piões, Renu Malhotra, professora de ciências planetárias da LPL e co-autora do novo estudo, disse na declaração:
Imagine que você tem vários piões girando rapidamente, e você dá a cada um um ligeiro empurrão… Se você tirar uma foto deles, você descobrirá que seus eixos de giro estarão em diferentes orientações, mas em média, eles estarão apontando para o campo gravitacional local da Terra. Esperamos que cada ângulo de inclinação orbital dos OCKs esteja em uma orientação diferente, mas em média, eles estarão apontando perpendicular ao plano determinado pelo Sol e pelos grandes planetas”.
Pode soar muito como o misterioso Planeta Nove, mas os pesquisadores dizem que o chamado objeto de massa planetária é muito pequeno e muito próximo para ser o mesmo objeto. O Planeta Nove situa-se entre 500 e 700 unidades astronômicas (UA) da Terra e sua massa é cerca de 10 vezes maior que a Terra. (Uma UA é a distância média na qual a Terra orbita o Sol – 93 milhões de milhas, ou 150 milhões de quilômetros. Plutão orbita o Sol a uma distância máxima de apenas menos de 50 UA).
Vold disse:
Isso é muito longe para influenciar estes OKBs. Certamente tem que ser muito mais próximo do que 100 UA para afetar substancialmente os OKBs nesse intervalo.
Embora nenhum objeto do tamanho de um planeta tenha sido visto no Cinturão de Kuiper até agora, os pesquisadores estão otimistas de que o Grande Telescópio de Pesquisa Sinoptica (LSST, sigla em inglês), que está atualmente em construção no Chile, ajudará a encontrar esses mundos ocultos. Mlahotra disse:
Esperamos que o LSST traga o número de OKBs observados atualmente de cerca de 2.000 para 40.000. Há muito mais OKBs lá fora – simplesmente não os vimos ainda. Alguns deles são muito distantes e fracos mesmo para o LSST detectar, mas porque o telescópio irá cobrir o céu de forma muito mais abrangente do que as pesquisas atuais, ele deve ser capaz de detectar esse objeto, se estiver lá fora.

Ovni Hoje.

0 comentários :

Postar um comentário