11:37:00
0

Biólogos japoneses revelam as capacidades de influência dos feromônios masculinos no cérebro e no corpo dos seres femininos, fazendo-as se preparar para continuação da espécie.

A pesquisa foi publicada em um artigo na revista Neuron.
"Sabe-se que várias substâncias voláteis, especialmente os feromônios, podem fortemente influenciar no comportamento dos animais, mesmo na primeira vez que sintam. Supusemos que no cérebro dos mamíferos há um mecanismo que liga o olfato, responsável pela assimilação destas moléculas, ao centro 'correto' de comportamento", conta Kazushige Touhara, biólogo da Universidade de Tóquio.

Feromônios são moléculas orgânicas complexas, produzidas pela pele e por outras partes do corpo; elas desempenham um papel muito importante na vida dos animais. Muitos insetos se interagem quase completamente através destas moléculas, usando-as para alertar perigo, prontidão para reprodução ou mesmo para encontrar outros da mesma espécie.
A influência dos feromônios no comportamento das pessoas sempre foi motivo de interesse entre pesquisadores. Durante os últimos anos, cientistas receberam dados contraditórios. Alguns mostraram que feromônios influenciam no comportamento das mulheres, bem como dos homens, mas já outros afirmam que essas substâncias químicas não causam efeito algum no ser humano.
A equipe do pesquisador Touhara deu um grande passo rumo à resolução deste problema ao descobrir uma parte especial no cérebro de ratos que é responsável pela reação instintiva das fêmeas aos feromônios dos machos.
As observações dos cientistas mostram que as células nervosas, que são responsáveis pela transmissão deste sinal, estão ligadas aos neurônios das amídalas. Algumas reações dos ratos chamaram a atenção dos cientistas: as fêmeas sentem o desejo de se reproduzir, já os machos se tornam mais agressivos.
Ambas as reações podem ser interrompidas quando as células das amídalas são "desligadas". Durante a pesquisa, assim que as células foram liberadas novamente, os machos apresentaram um alto nível de agressividade, já as fêmeas – iniciaram ou aumentaram o ritmo de sangue do cio. A procura de partes analógicas em cérebros humanos poderá ajudar a descobrir se feromônios influenciam no nosso comportamento, bem como se disfunções sexuais estariam ligadas a estas substâncias químicas.

Sputnik.

0 comentários :

Postar um comentário