O seguinte artigo foi publicado por Nick Redfern, do site 
mysteriousuniverse, e expõe uma história interessante sobre uma suposta testemunha militar, a qual, de acordo com Redfern, coloca dúvidas quanto a veracidade do fato de algumas bases militares nos EUA estarem armazenando cadáveres alienígenas reais. Veja:


Neste último final de semana, fiz uma palestra na conferência anual “Out of This World” (Fora Deste Mundo), em Edinburg, no Texas.  O assunto: as misteriosas mortes no campo da ovniologia. Durante a palestra, uma pessoa da platéia perguntou – devido aos vários livros que escrevi – se eu tinha um grande banco de dados de material sobre casos relacionados aos OVNIs, relatos de testemunhas, e assim por diante.
Bem, sim, eu tenho. Assim, pensei que hoje eu compartilharia com vocês um desses relatos.  Ele mostra a incontestável natureza bizarra de certos aspectos do fenômeno dos OVNIs.  Ele também revela como o assunto tem sido manipulado devido a propósitos muito estranhos.
Em 2 de setembro de 2014, tive uma conversa interessante com um funcionário aposentado da Força Aérea dos EUA. Vou chamá-lo de “Harry Palmer”. Ele me contatou para compartilhar um história profundamente estranha, especificamente após ler meu livro de 2011, The Real Men in Black (Os Reais Homens de Preto). A exposição de Palmer ao fenômeno dos OVNIs ocorreu embaixo da Base da Força Aérea Wright-Patterson, em Dayton, Ohio. A base em questão é uma instalação militar altamente guardada.  Ela tem a reputação de (supostamente) ser o lar de vários cadáveres de alienígenas bem preservados – e alguns não tão bem preservados, presumivelmente recuperados de vários acidentes com OVNIs. Muitos dos céticos de OVNIs ignoram ou descartam tais casos.

Era uma noite de inverno em 1988, quando Palmer (com 27 anos na época), foi ordenado a comparecer num prédio em particular na base, no qual ele nunca havia estado antes; um prédio conectado à uma certa área de armazenamento de armamentos. Ao lá chegar, ele encontrou três homens de pele pálida, vestindo ternos pretos. Eles o dirigiram à uma porta que, quando aberta, revelou um enorme elevador no outro lado. Silenciosamente o trio vestido de preto direcionou Palmer para dentro do elevador.  Ele rapidamente percebeu que estava descendo – e muito profundamente.  Então ele foi conduzido a um corredor que tinha uma porta similar à de um cofre no seu final.
Um do três homens abriu a porta, e uma voz aguda estranha ordenou que Palmer entrasse no cofre.  O mesmo homem apontou para um grande recipiente – talvez 2,70 m de comprimento, por 1,5 de largura – e disse para Palmer olhar dentro. Ele fez o que lhe pediram e ficou chocado – ao ponto de se sentir com náusea e calafrios – pela visão de um corpo extremamente danificado do que ele, Palmer, poderia somente adivinhar que era extraterrestre.  A cabeça era grande, os olhos eram enormes e pretos, e o pequeno e decepado torso era magro.

Em segundos, Palmer foi forçadamente retirado da sala, levado para outra sala, e então ordenado a assinar um documento que efetivamente dizia que se ele alguma vez falasse sobre o que viu, seria processado com toda a carga da lei por violar os regulamentos de segurança nacional dos EUA.  Após assinar o documento, o preocupado Palmer foi levado de volta para a superfície e então deixado lá para voltar ao seu lugar normal de trabalho.
Claramente, este caso não faz nenhum sentido – a menos que eles estavam jogando com a mente de Palmer, o que eu acho ser provável, como logo revelarei.
É fato que os OVNIs não tinham nada a ver com o trabalho de Palmer na base Wright-Patterson. Assim, por que expô-lo a algo tão impressionante que, em todas as probabilidades, ele um dia iria compartilhar com as pessoas – como seu familiares e, em 2014, comigo?
Minha visão sobre tudo isto é a de que o corpo foi mostrado a Palmer (ou provavelmente um modelo) para determinar sua lealdade. Poderia ser que a intenção era a de que ele visse “isso”.  Se Palmer ficasse quieto sobre o que viu, ele seria um bom militar e alguém considerado de confiança. Se ele contasse aos seus familiares o que tinha visto, ele seria, talvez, um risco à segurança e precisaria ser vigiado cuidadosamente.  E se ele corresse para um espião soviético, seria enviado para prisão.  Mas, a coisa importante a ser lembrada é que nenhum segredo real teria sido comprometido: foi tudo um ardil e um teste de lealdade.
Sobre esta teoria provocante, Palmer me disse que foi designado a um projeto particularmente sensível, não relacionado aos OVNIs (uma descrição que ele não elaborou a respeito) somente cinco dias antes de ver o corpo no recipiente.  Com aquele caso em mente, eu tenho fortes suspeitas de que o corpo visto por Palmer não era real. A coisa toda foi uma encenação. Ela foi elaborada para ver como – e a que extensão – Palmer poderia ser confiado.
Se for verdadeira, esta saga pode muito bem ajudar a explicar algumas das histórias altamente controversas a respeito dos militares que têm sido expostos aos supostos corpos alienígenas em salas subterrâneas (tal como as muitas lendas do “Hangar 18” associadas à Base Wright-Patterson da Força Aérea dos EUA), e sob circunstâncias improváveis e “convenientes” que muitos pesquisadores céticos pensam ser boas demais para serem verdade. Elas provavelmente são muito boas para serem verdade, mas não pela razão que os céticos acreditam. Este caso também sugere que os agentes de inteligência poderiam, algumas vezes, imitar as ações assustadoras dos Homens de Preto – o que é uma história para outro dia.
Você acha que a teoria de Rick Redfern sobre os corpos de alienígenas falsos sendo mostrados para alguns militares, somente para testar suas fidelidades, faz sentido?  Ou seria esta somente mais uma esforço para acobertar a realidade extraterrestre presente na Terra?

OvniHoje.

0 comentários :

Postar um comentário