13:28:00
0

A advogada Rosangela Wolff Moro afirmou que existem provas capazes de ligar ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a posse do sítio de Atibaia. A garantia foi destaque da sustentação oral que fez do marido, o juiz Sergio Moro, em defesa na queixa-crime por abuso de autoridade apresentada pela defesa do ex-presidente petista.

 "Apesar das maledicências os querelantes, não há nenhum elemento minimamente objetivo que possa relacionar a tomada de decisõs a um rancor pessoal, a um interesse político-partidário ou a alguma preferência ilegal, da parte do magistrado", argumentou. 

Na avaliação da advogada, pode-se eventualmente discordar de decisões, mas classificá-las como criminosas "carece de qualquer base argumentativa mais séria". De acordo com O Globo, a advogada disse que o que realmente se discute no processo é a independência judicial e se os magistrados podem ou não ser livres para interpretar e aplicar a lei, independentemente do poder político ou econômico dos envolvidos.

 A advogada argumentou ainda, segundo O Globo, que a queixa-crime foi impetrada porque Lula e seus defensores não admitem que as condutas do petista sejam sequer objeto de investigação. Por outro lado, Rosangela ponderou que Moro pode ter errado no levantamento do sigilo de escutas telefônicas, conforme decidido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), mas que a revisão de decisões pelas instâncias superiores "faz parte do sistema judicial de erros e acertos". 

Nesta quinta-feira (9), o Tribunal Regional Federal da 4ª Região rejeitou a ação proposta pelo ex-presidente. O desembargador Sebastão Ogê Muniz, relator da queixa-crime, considerou que não há razão para abertura de um processo por abuso de autoridade sem novas provas.