O governo sírio pediu nesta sexta-feira que a ONU obrigue a Turquia a retirar suas tropas do território sírio e detenha os "contínuos ataques" à soberania do país árabe, informou a agência oficial "Sana".
Damasco acusou a Turquia de "apoiar o terrorismo" sob "instruções diretas" do presidente Recep Tayyip Erdogan e das forças de segurança turcas.
A carta foi enviada à ONU após o exército sírio acusar as tropas do país vizinho de terem atacado suas posições na cidade de Manbij, no norte da Síria, com artilharia e foguetes, causando várias baixas nas fileiras leais ao presidente Bashar al Assad.
A Turquia apoia as facções rebeldes que participam da operação do "Escudo de Eufrates", que tem como objetivo combater o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) e as milícias curdas que operam no norte da Síria, consideradas terroristas por Ancara.
Algumas dessas facções curdas, apoiadas pelos Estados Unidos, controlam a cidade de Manbij, cujas imediações também estão ocupadas por unidades do exército governamental.
Os bombardeios turcos na região da cidade de Al Bab, próxima a Manbij, causaram a morte a pelo menos 444 civis desde novembro do ano passado, segundo dados do Observatório Sírio de Direitos Humanos.







EFE.