13:23:00
1

O presidente russo Vladimir Putin declarou que continuam as tentativas de interferência nas questões internas do país.
Segundo ele, a ampliação da OTAN se realiza com objetivo de contenção da Rússia como a principal ameaça à Aliança, informou Putin na quinta-feira (16) ao discursar no conselho do Serviço Federal de Segurança (FSB) da Rússia.
O presidente russo acrescentou que OTAN está sempre tentando atrair a Rússia para uma confrontação e que os integrantes da Aliança continuam suas interferências nos assuntos internos do país.
Putin ressaltou que nos últimos anos a situação em termos de segurança global "não tem melhorado, antes pelo contrário; muitas ameaças que já existiam estão se tornando mais sérias".
A OTAN, com a sua "recentemente anunciada missão oficial para dissuadir a Rússia", é uma destas ameaças para a paz, sublinhou Putin.
De acordo com o líder russo, a expansão do bloco atlântico tem por objetivo a "contenção" da Rússia. Putin recordou que na reunião em Varsóvia, em julho do ano passado, a OTAN qualificou a Rússia como principal ameaça para a sua segurança "pela primeira vez desde 1989".
"É com esse objetivo que se procede à continuação do alargamento do bloco. Ele já era realizado antes, mas agora encontraram uma outra justificação que lhes parece mais séria", assinalou Putin.
Segundo Putin, a Rússia não tem culpa de que o diálogo com os EUA e os países da OTAN tenha sido interrompido e não se desenvolva, o estabelecimento do diálogo é de interesse mútuo, considera o presidente russo.
"É bem evidente que na área do combate ao terrorismo todas as organizações e entidades internacionais devem cooperar, pois mesmo uma simples troca de informações sobre canais e fontes de financiamento dos terroristas e sobre pessoas suspeitas ou envolvidas no terrorismo aumenta a eficácia dos nossos esforços", frisou Putin.
Putin destacou que no ano passado foram detidos "53 operacionais de inteligência estrangeira e 386 agentes de serviços estrangeiros".
Algumas horas antes, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, declarou que a Aliança "está reforçando suas componentes terrestre e naval da sua presença no mar Negro".
Os EUA e a OTAN estão acumulando forças perto das fronteiras russas. No mês de janeiro de 2017, 2.800 unidades de material bélico norte-americano e 4.000 efetivos chegaram à Europa como parte da operação Atlantic Resolve.







Sputnik.

1 comentários :

  1. Putinnao está errado, os EUA e a Otan hoje são mais ameaçadores para à Rússia do que o contrário... Apesar dos esforços desses primeiros no sentido de fazer o mundo crer que a Rússia é uma ameaça. ..

    ResponderExcluir