15:10:00
0

O Museu Nacional da Estônia inaugurou no final do ano passado uma exposição que irritou os católicos do país. Umas das obras, com a qual se pode interagir, oferece aos visitantes a oportunidade de “chutar” uma imagem de Nossa Senhora. Ao se atingir com o pé o local indicado, a imagem fica imediatamente em pedaços. Em seguida, surge em seu lugar a palavra “Reforma”.
A obra virtual foi criticada por uma série de políticos locais e parlamentares. Priit Sibul, que preside o grupo político União Pró-Pátria e Republica, reclamou que “Chutar uma imagem da Mãe de Deus é algo que se fazia durante o domínio soviético”.
O presidente do partido Conservador, Mart Helme, insistiu: “A imagem deve ser removida o mais rapidamente possível, porque a destruição, ainda que virtual, é um grave insulto aos sentimentos dos cidadãos religiosos”. Para ele, “Zombar dos símbolos de fé também tem uma dimensão política. Pode levar a uma escalada das tensões sociais”.

O uso da palavra “Reforma” na obra iconoclasta justamente quando já começaram na Europa as comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante causou incômodo também em líderes religiosos.
O bispo Urmas Viilma, da Igreja Luterana Estoniana afirmou que a ideia de “destruir” uma imagem de Maria é uma afronta “a toda a sociedade da Estônia e a todos os cristãos, ortodoxos, católicos e evangélicos também”.





 Com informações Catholic Herald.


0 comentários :

Postar um comentário