20:53:00
0

O artigo abaixo, de Rajan Zed, foi publicado recentemente no site da
 Reno Gazette-Journal, da cidade de Reno, estado de Nevada, nos Estados Unidos:

Segundo a um artigo da BBC, publicado em 16 de dezembro passado, em 2014 a NASA concedeu US$ 1,1 milhão para o Centro de Investigação Teológica, um instituto ecumênico no estado de Nova Jersey, para a pesquisa interdisciplinar no campo da religião, para estudar “as implicações sociais da astrobiologia”.
O artigo ainda informa que a detecção de vida extraterrestre é mais uma questão de ‘quando’, e não de ‘se’. Ele ainda aponta que em 2000, astrônomos conheciam aproximadamente 50 planetas fora de nosso sistema solar; em 2013 este número alcançou 850, e ele pode alcançar 1 milhão em 2045.
A vida em outros planetas, que levanta questões tanto científicas quando teológicas/filosóficas e carrega consigo vários desafios, tem sido um tópico intensamente debatido por algum tempo; e as abordagens para a possibilidade e tratamento teológico de alienígenas são diversas por várias religiões.

Mesmo em 1714, o clérigo/teólogo/filósofo inglês, William Derham, publicou um livro intitulado “Astro-Theology or a Demonstration of the Being and Attributes of God from a Survey of the Heavens” (em tradução livre: Astro-Teologia ou uma Demonstração do Ser e Atributos de Deus a Partir de uma Inspeção dos Céus).
Paul Davies, diretor do “The Beyond Center” (devotado a confrontar as questões realmente grandes da física e filosofia) na Universidade do Arizona, em Tempe, escreveu um livro sobre o assunto em 1995:  “Are We Alone?—philosophical implications of the discovery of extraterrestrial life.” (em tradução livre: Estamos Sós? – as implicações filosóficas da descoberta de vida extraterrestre.)
Steven J. Dick, que foi chefe historiador da NASA, publicou o livro “Many worlds—The new universe, extraterrestrial life & the theological implications” (em tradução livre: Muitos mundos – O novo universo, vida extraterrestre & implicações teológicas) em 2000, pela Templeton Foundation Press; o qual tem um capítulo intitulado “The evolution of intelligent life on Earth and possibly elsewhere: Reflections from a religious tradition” (em tradução livre: A evolução de vida inteligente na Terra e a possibilidade em outros lugares: Reflexões de uma tradição religiosa), escrito pelo Padre George V. Coyne, jesuíta e ex-diretor do Observatório Vaticano.
Perguntamos ao nosso painel de distintos líderes religiosos da região a seguinte questão: Como a religião reagirá aos alienígenas quando forem descobertos no futuro?
Veja o que eles disseram:
O judaísmo está preparado
ElizaBeth Webb Beyer, Rabina
O judaísmo está bem equipado para um tempo em que a vida em outros planetas for abertamente reconhecida. “O judaísmo… pode muito bem aceitar a descoberta científica de que o homem não é o único residente inteligente e bio-espiritual no mundo de D’us (Rabino Norman Lamm, YU). Nossa relação com D’us e o sistema de crença permaneceria essencialmente imutável. Também, teríamos o dever de sermos bondosos e misericordiosos para com eles. (Êxodo 23:9)
Nossos Sábios dizem que em Juízes 5:23, vários outros versos bíblicos e um número de textos de rabinos indicam que extraterrestres existem, além dos anjos. O Lubavitcher Rebbe sugere que deveríamos estar procurando por vida extraterrestre, porque “dizer que não há vida fora do planeta Terra é colocar uma limitação no Criador, e isso não é algo que nenhuma de Suas criaturas pode fazer!” “A glória da criação está em sua infinita diversidade – e nas formas com que nossas vidas se combinam para criar significado e beleza.”
Mostraremos hospitalidade
Stephen R. Karcher, Sacerdote Presidente da Igreja Grega Ortodoxa St. Anthony
Primeiramente, já sabemos que outras vidas racionais existem, porque sabemos que Deus criou um outro mundo super sensível e espiritual, junto com outros seres inteligentes que são providos com a razão e auto-determinação.  Estes seres podemos chamar de ‘anjos’.  Segundo, o Novo Testamento ensina pelo Filho de Deus que “todas as coisas foram criadas”.  Então, naturalmente, presumimos que “todas as coisas” incluem tudo que ainda não descobrimos. Neste ponto podemos mencionar também que nos tempos apostólicos as pessoas não estavam cientes dos habitantes em outros continentes.  Apesar disso, e da existência de culturas que ninguém sabia originalmente, as cristandade viria finalmente aceitar esses povos ‘alienígenas’.  Finalmente, mesmo a possibilidade de vida em outro planeta não contrariaria os ensinamentos cristãos, porque se os alienígenas  não são pecadores, então eles não precisariam do sacrifício de Cristo, porque eles já vivem com Deus. Contudo, se eles são pecadores, então o sacrifício redentor de Cristo conta para eles também.
Seja bondoso para com toda a criatura viva
Bradley S. Corbin, Professor Baha’i
As escrituras Baha’i afirmam a existência de vida em outros planetas. Especificamente, Abdu’l-Baha se refere aos seres em outros mundos que são capazes de conhecer a Deus, e Baha’u’llah declara que o número de seres no Universo não pode ser calculado. Estas criaturas podem ou não ser similares a nós, embora as escritas Baha’i se referem aos seres que tem um “estado de consciência” diferente do nosso. Porém, não há informação se estes seres têm visitado a Terra, ou mesmo se possuem esta habilidade. Todavia, quando o contato for feito com estes seres, tenho certeza que a reação Baha’i, sem dúvida, será a de tentar estabelecer um compartilhamento e unidade com eles.
De forma breve, não é somente para com seus companheiros seres humanos que o amado Deus deve tratar com misericórdia e compaixão, particularmente eles devem mostrar imenso amor e bondade para toda a criatura viva.  – Abdu’l-Baha, Seleções com as Escritas de Abdu’l-Baha, pg. 158.
Curiosidade para com a inteligência extraterrestre
Brandon J. Evans, Pastor dos grupos LIFE, Igreja Cristão Summit, Sparks
Se os alienígenas forem descobertos (e este é um enorme ‘se’, dadas as evidências), então os vários grupos de fé provavelmente reagiriam com curiosidade e procurariam respostas para as questões religiosas que perduram (a menos que os alienígenas sejam hostis; então provavelmente correríamos e nos esconderíamos).
A Bíblia faz várias alegações universais que podem ser aplicadas aos extraterrestres também. Uma delas é que eles devem ter sido criados pelo mesmo Deus uno e trino que nós fomos. Mas a descoberta de vida alienígena (inteligente) provocaria várias perguntas dos evangélicos: Eles possuem a ‘imagem de Deus’? Eles precisam da salvação? Se este for o caso, Jesus também se tornou encarnado na forma deles, morreu, e então ressuscitou? Eles têm uma Bíblia?  Se este for o caso, eles também têm canecas de café com versos inspiradores da Bíblia?  As respostas para estas questões provavelmente reformulariam (mas não necessariamente refutariam) vários ensinamentos cristãos.
Consequências cósmicas
Kenneth G. Lucey, Professor de filosofia e religião da Universidade de Nevada, em Reno – EUA
Este tópico tem sido explorado num livro por David A. Weintraub, intitulado “Religions and Extraterrestrial Life: How Will We Deal With It?” – Springer, 2014 (em tradução livre: Religiões e a Vida Extraterrestre: Como Lidaremos com Isto?).  O autor diz:
Conhecer a resposta … irá disparar uma das maiores revoluções intelectuais, uma das maiores que será um desafio para pelo menos algumas das religiões terrestres. …Algumas religiões, como praticadas atualmente, parecem somente ser viáveis na Terra. Outras religiões poderiam ser praticadas em mundos distantes…”
É bem conhecido aos estudantes das religiões do mundo que o hinduísmo tem a compreensão religiosa mais precisa do tamanho e idade do Universo físico. Dado o fato de que ele também reconhece a vasta quantidade de seres espirituais, provavelmente seria a religião menos afetada pela descoberta de vida inteligente em outros partes do Universo. O cristianismo, contrastando, será muito afetado, dada a atual centralidade dele na Terra associada à vida de Jesus.
Evidência do poder de Deus
Sherif A. Elfass, Presidente da Comunidade Muçulmana do Norte de Nevada
Os muçulmanos acreditam que Alá é o Criador todo poderoso do Universo e o Alcorão é a Sua palavra para a humanidade. No Alcorão, Alá diz que Ele criou outras “criações” das quais não temos conhecimento [16:8]. Ele também diz: “E de Seus sinais é a criação dos céus e Terra e que Ele dispersou criaturas por tudo isto” [42:29]. Assim, como muçulmanos, acreditamos que há outras criações no Universo além de nós.  Estas criações podem muito bem ser formas de vida alternativa (alienígenas).  O Alcorão, porém, nunca explica isso explicitamente. Enquanto isso, o Alcorão não menciona nada se estas criações existiram antes, existirão após, ou existem ao mesmo tempo que nós.  Assim, os muçulmanos aceitarão a descoberta de alienígenas como outro sinal do poder da criação de Alá e que nós, humanos, somos somente uma das criações infinitas de Alá.
Como aqui na Terra?
Robert W. Chorey, Moderador da Cúria de Reno, Nevada – Diocese Católica Romana
Eu confio que iremos reagir com discernimento e pensamento cuidadoso, e sem pânico ou julgamento apressado. Espero aplicar as mesmas crenças base para qualquer vida alienígena, seja inteligente, ou não. Espero que tratemos a vida com dignidade e respeito, como devemos tratar todas as vidas. Se for vida inteligente, confio que os ouviremos, procuraremos compreende-los e aprenderemos sobre eles e sua cultura.
É claro, espero que apliquemos isso às atuais formas de vida que vivem no planeta Terra agora. Pareceria algo hipócrita tratar a vida alienígena com tal dignidade e respeito, quando nós humanos ainda matamos uns aos outros sobre coisas desnecessárias.  Assim, antes de qualquer alienígena chegar ou ser encontrado, talvez possamos começar a agir melhor para como nossos companheiros humanos aqui na Terra.
Universo de seres cientes
Matthew T. Fisher, Monje Residente no Centro Budista de Reno, Nevada
O Buda ensinou sobre um Universo cheio de seres conscientes e miríades de mundos. Não há alienígenas no budismo. Todos os seres inteligentes das seis esferas estão na mesma sopa carmica. O renascimento não está restrito a um mundo ou espécie ou esfera. Todos somos irmãos e irmãs conscientes no Universo.
Embora não surpreendente para um Buda, tal descoberta será chocante para a maior parte dos humanos. Somos muito egoístas e com tendência de nos separar, mesmo dentro de nossa própria espécie.  Mostramos bondade somente quando você é um conosco. Mas o primeiro contato com outra raça consciente requererá que abramos nossos corações e ampliemos aquela definição que inclui todos os seres conscientes.  Buda ensinou que todos os seres conscientes são bons, exatamente como eles são; e eles merecem a bondade e o benefício da Sabedoria e Compaixão do Universo.
Alienígenas já viveram entre nós
Brian E. Melendez, Estudioso Espiritualista Índio Americano
Imagino que algumas religiões provavelmente terão dificuldades em explicar aos seus congregantes, de que nós (humanos) não somos os únicos no Universo, parcialmente porque nossos pequeninos irmão verdes não foram prenunciados através das escrituras populares. Como uma religião explica algo que não está escrito?
Os alienígenas estarão espiritualmente fora para muitos fiéis, com certeza. O Criador de todas as coisas fez os alienígenas? Ou talvez os alienígenas sejam o Criador? Quanto aos povos indígenas: coletivamente, diríamos – ah, esses caras vivem nas estrelas… nós te dissemos.
Muitas tribos compartilham a crença de que originamos das estrelas. Nossas tradições verbais têm expressado que os alienígenas têm vivido entre nós pelo tempo que temos sido uma espécie, ensinando-nos, guiando-nos todos. A descoberta de alienígenas não nos abalaria; estamos bem.
O amor une
David A. Luce, Ministro para Ministérios de Cristo Amor
A ideia e a crença num Deus onipresente carregam juntas a ideia de que deve haver um campo unificado de consciência ativa através de todo o Universo.  Esta consciência une toda a vida, independentemente da forma ou localização, por sua natureza fundamental, que é o Amor.
Se e quando formos visitados por seres de outro mundo, a humanidade será presenteada com uma suprema oportunidade de “julgar pela fé e não pela visão”.  Como seres humanos, muitas vezes estamos face a face com o desconhecido e é somente pela fé que o desconhecido se torna conhecível. Eu seria incumbido pelas comunidades religiosas e espirituais no mundo todo para ser a presença da amizade e amor durante um evento extraterrestre. “Curar o doente e expulsar os demônios” do medo, suspeita, ilusão, e trepidação seria o decreto para aqueles vivendo na fé. A fé revela o amor, independentemente das condições.
Refeição para todos
Louis A. Ling, Líder de Culto da Igreja Luterana do Bom Pastor – EUA
Tudo que algum dia conheceremos – veremos, tocaremos, cheiraremos, escutaremos, sentiremos, aprenderemos – foi feito por Deus. A Bíblia começa com uma descrição poética da prefeita criação de amor e ponderação de tudo. Porque Deus fez o Universo e tudo nele, se quisermos aprender sobre seres além de nossa querida Terra, também eles serão criações de Deus.
Espero que nós, como cristãos – e cidadãos do mundo – tomemos nossa dica de Ló, quando ele foi visitado pelos anjos, seres de outra esfera. Ló convidou-os para entrar, e os deu uma refeição, e abrigou-os sob um risco considerável de uma multidão que queria machucar os alienígenas. Eu antevejo nós convidando nossos visitantes de longe para uma refeição luterana à moda antiga, e pedindo para que tragam seu prato favorito para experimentarmos.  Espero que eles gostem de salada de gelatina. Deverá ser maravilhoso.
Mas como todos que acompanham o OH sabem, o que não foi mencionado no artigo acima são aquelas religiões que acham que os alienígenas sejam demônios, ou anjos caídos. A maioria delas é do segmento cristão.
Espero viver para ver daqui da Terra o dia em que a realidade extraterrestre for revelada para toda a humanidade. Certamente haverá alguma confusão e tumulto por este mundo afora.









OvniHoje.

0 comentários :

Postar um comentário