09:24:00
0

A grande mídia, geralmente sem muita convicção, refere-se a questões dos transgênicos com  debates indecisos ou controvérsia, retratando pessoas anti-transgênicos como "emocionais" e "irracionais" enquanto afirmam que a engenharia genética é mais "científica". Mas a única "ciência" que a mídia expõe são comunicados de imprensa da indústria de bio-tecnologia. O fato é que vários estudos apontam para os perigos dos transgênicos, e centenas de cientistas estão começando a falar publicamente contra os eles em geral.

No notório estudo francês conduzido por Gilles-Eric Séralini com milho trangênico aprovado e glifosato, o ingrediente ativo do Roundup, utilizado para sementes prontas trangênicas da Roundup, ratos alimentados com transgênicos tinham desenvolvido tumores cancerígenos dramáticos.

O julgamento de dois anos de Seralini foi aniquilado pelos bajuladores da indústria de biotecnologia, que afirmaram ser não-científico, e a mídia global aceitou isso, sem dúvida. Esses chamados "jornalistas" nunca se preocuparam em verificar os fatos. Os ratos que Seralini utilizou foram os mesmos tipos utilizados pela Monsanto para o seu estudo para obter a aprovação de seu milho transgênico.

Mas o relatório "aprovado" da Monsanto foi baseado em um estudo de três meses. Mesmo sem revelar efeitos adversos, o que é comum com estudos financiados pela indústria. O julgamento da Monsanto foi, obviamente, muito curto.

A pesquisa de Seralini era mais apropriada para efeitos a longo prazo, e ele acrescentou baixas doses de glifosato medidos como equivalentes a subproduto do consumo de milho transgênico da Monsato. A Monsanto ainda não incluiu uma experimentação animal para o glifosato.

A boa notícia é que o estudo de Seralini foi validado pela Autoridade de Segurança Alimentar Europeia (EFSA). Será que isso será publicado pela mídia global? Eles provavelmente nem sequer sabem sobre isso, e se sabem, não irão informar sobre isso.

Mas mesmo antes desta controvérsia, os cientistas que conhecem genes e microbiologia, mas não foram comprados e financiados pela Monsanto e sua laia, estavam expressando sérias preocupações sobre o gene promotor usado para produtos transgênicos.

Em novembro de 2009, O Relatório Organic & Non-GMO (online) entrevistou o Agro-ecologista Don Lotter, Ph.D, sobre sua publicação, "A engenharia genética de alimentos e a Falha da Ciência", publicada na edição de 2009 do Internacional Journal of Sociology of Agriculture and Food.

Apesar de saber como essa publicação pode afetar sua carreira como pesquisador e professor universitário, Lotter revelou mais do que o fundo científico falho da arrogância da bio-tecnologia. Ele também revelou uma arma fumegante que iria estragar a nossa saúde.

Lotter declarou:

 "O gene promotor usado em cultivos geneticamente modificados, o vírus mosaico da couve-flor, é um promotor forte de troca de genes entre espécies. Os cientistas pensavam que iria ser desnaturado em nosso sistema digestivo, mas não é. Demonstrou-se que promove a transferência de transgenes a partir de alimentos geneticamente modificados para as bactérias dentro do nosso sistema digestivo, as quais são responsáveis por 80% da função do sistema imunitário."

Lotter adicionou que há preocupações ainda piores sobre este gene promotor, o vírus mosaico da couve-flor ou CaMV-35S. Os CaMV-35S usados na engenharia genética de plantas são citados pela maioria dos cientistas independentes como uma fonte de recombinação de vírus, bem como um gene silenciador e disruptor de DNA.

Em outras palavras, pode espalhar a doença viral e caos genético "horizontalmente" em toda planta, animal, e a vida humana, enquanto suprime simultaneamente o nosso sistema imunológico. Outros cientistas independentes corroboram a avaliação de Don Lotter dos perigos do gene promotor CaMV-35S.

Existem inúmeros outros estudos disponíveis apresentando os efeitos negativos e os perigos dos transgênicos.

0 Comentários :

Postar um comentário