17:02:00
0

As tecnologias estão se desenvolvendo a largos passos. A tecnologia que substitui os cartões de crédito, desenvolvida nos Estados Unidos, começou a surgir em experimentos na Europana Oceaniano Oriente Médio, e em Israel.
Atualmente, por exemplo, um conceito conhecido como “internet das coisas” está sendo amplamente discutido entre desenvolvedores de tecnologias pelo mundo todo. Trata-se de interconectar dispositivos eletrônicos, controlando e trocando informações por meio deles.
E essa realidade não está muito distante. Celulares carregam informações de seus portadores e controlam até mesmo máquinas de fazer café por meio de um aplicativo, por exemplo. O mundo está cada vez mais conectado.
Pensar em pessoas carregando microchips em seus corpos há alguns anos era algo apenas concebível em obras de ficção científica. Contudo, implantes de microchips estão se tornando comuns pelo mundo. Em um pequeno dispositivo desses – alguns têm em média 12 milímetros quadrados de tamanho –, os usuários podem gravar informações do dia a dia, como, por exemplo, senhas de cartões de crédito, números de identificação e até mesmo Criptomoedas, que são moedas virtuais frequentemente utilizadas em pagamentos online.
Na República Tcheca, no continente europeu, microchips eletrônicos vêm sendo implantados nas mãos de dezenas de voluntários. O objetivo do teste é verificar a praticidade e utilidade de usar dinheiro virtual em pagamentos nos estabelecimentos comerciais sem a necessidade de um cartão com senha. O projeto Paralelní Polis, que idealizou a iniciativa, garante que é uma tendência do mercado para os próximos anos. Segundo um representante, Jan Hubik, a implantação do microchip não requer processo cirúrgico e está sendo muito bem recebida pelas pessoas que adquirem acesso a essa tecnologia.
“O primeiro evento (sobre o microchip) foi realizado no final de janeiro de 2016. O procedimento de implantação seguinte foi realizado em setembro de 2016. E, nessa vez, o dobro de pessoas estava interessado no produto”, avaliou Hubik.






Apocalipse News.

0 comentários :

Postar um comentário